• Daniel Menezes Gil

Características das cidades prósperas = cidades inteligentes


Em outra resenha com o título de “Características das cidades prósperas”, apresentei um novo conceito de cidade como efeito da globalização sobre elas, transformando-as em centros de integração de pessoas e dos negócios em esfera mundial. Estas cidades que vem se transformando diferenciam-se como cidades prosperas e se caracterizam como centros econômicos competitivos, atraindo empresas e desenvolvendo ambientes de negócios; e pela realização de investimentos na qualidade de vida e promoção para o bem-estar da sua população.

Também pertencente a este contexto e integrando o avanço tecnológico como instrumento de evolução qualitativa nas suas características e solução de problemas, soma-se a este desempenho o conceito de Cidades Inteligentes. O conceito de cidades Inteligentes está apoiado no uso de tecnologias e indicadores da gestão pública para a promoção da sustentabilidade econômica, a promoção da qualidade de vida de sua população e da preservação do meio ambiente.

A consultoria Urban Systems analisou 70 indicadores de 11 áreas da gestão pública de 700 municípios e estabeleceu um Ranking de Cidades Inteligentes que foi divulgado na edição 1094 da Revista Exame. As áreas analisadas foram: economia, educação, empreendedorismo, energia, governança, meio ambiente, mobilidade, planejamento urbano, saúde, segurança, tecnologia e inovação.

De acordo a Consultoria, o uso da tecnologia está associado diretamente a solução dos problemas como: realização de benfeitoria nas infraestruturas, congestionamentos, criminalidade, avaliando onde há desperdícios e redirecionar os recursos públicos.

Segundo o Economista Edward Glaeser, da Universidade de Harvard, o seu conceito de Cidades Inteligentes são aquelas cidades que formam e atraem pessoas inteligentes evidenciado pela forte correlação entre a existência de uma população qualificada e a atração de capital, resultando em sucesso econômico.

Ainda segundo este economista, as Cidades Inteligente proporcionam um ambiente favorável para as pessoas serem mais produtivas e criativas.

Neste Ranking das 700 cidades, a pesquisa destacou 63 pontos possíveis a serem atendidos pelos critérios e também apresentou as 50 cidades Brasileiras que melhor pontuaram no Ranking. As cidades Brasileiras que usam ferramentas tecnológicas e de informação e pontuaram a melhor classificada foi o Rio de Janeiro com 29,99 pontos, isto é, menos da metade dos pontos possíveis, seguido por São Paulo, Belo Horizonte, Brasília e Curitiba.

Porto Alegre aparece em 9º entre as brasileiras com 26,05 pontos, contribuindo com o pífio desempenho frente as grandes cidades internacionais.

Um exemplo apresentado pela pesquisa é que a qualidade dos gestores públicos das cidades brasileiras é muito ruim, 47% dos prefeitos não possuem ensino superior completo, além de faltarem ferramentas de gestão, profissionais capacitados e planejamentos.

As cidades brasileiras também não possuem boas conexões com a internet, onde uma cidade com conexão de qualidade é mais atraente aos olhos dos investidores. Também a cidade insegura, com altas taxas de criminalidade afugenta investimentos.

A publicação destaca exemplos nas áreas da educação, governança, planejamento das cidades, ações no meio ambiente e na saúde que fizeram a diferença provocaram efeitos muito positivos nestes indicadores.

Vivemos um período muito difícil no Brasil e com pouca iniciativa e nenhuma criatividade e pró atividade dos setores públicos e esta é mais uma contribuição que faço para reflexão ao crescimento das nossas cidades.

Daniel Menezes Gil

Economista

3 views

Recent Posts

See All

PIB Agropecuário

No dia de ontem (05/maio/2020), participei como convidado de uma “Live” promovida pela empresa de Consultoria Cria Valor - Gestão Inteligente, para abordar dois temas pelo enfoque da economia e gestão

© 2023 por Consultoria estratégica. Orgulhosamente criado por Wix.com